- Verão na Ulisboa 2016 -programa do ICS para estudantes do secundário

 

Cartaz_Vero_na_ULisboa_001


O Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa participa na iniciativa Verão na Ulisboa, direcionada para estudantes do secundário, com o programa
"VERÃO COM AS CIÊNCIAS SOCIAIS".


Destinatários: 
alunos que vão frequentar o 10.º, 11.º ou 12.º anos no ano letivo 2016/2017.


Verão na ULisboa é uma iniciativa da Universidade de Lisboa que proporciona a oportunidade única de conheceres e experimentares o ritmo e o espírito da vida académica.


Programa do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa

 

From the Dark side to the Bright side: histórias surpreendentes com Psicologia Social

Eras capaz de dar choques eléctricos num colega? Se o teu amigo diz disparates, vais imitá-lo? Será que a mudança vem sempre de dentro? A psicologia social mostra-nos o nosso lado mais negro mas também acredita na mudança e propõe formas de a alcançar.
Na primeira parte, The Dark Side, abordaremos temas clássicos da Psicologia Social a partir de documentários sobre conformismo e obediência à autoridade. Na segunda parte, The Bright side, vamos discutir sobre a utilidade e aplicabilidade da psicologia social.

Coordenação: Rui Costa Lopes
 

Consulta Pública sobre Clima e Energia
As alterações climáticas são um dos problemas mais preocupantes da atualidade. É importante fazer ouvir a voz dos cidadãos nestes temas.
Esta atividade replica uma parte da consulta pública realizada em 2015, antes da COP21 de Paris, em que cidadãos de todo o mundo (incluindo Portugal) expressaram a sua opinião sobre as medidas que deviam ser tomadas. Os participantes no estágio vão ter a oportunidade de debater e votar sobre os temas e tecer comparações com os resultados obtidos na consulta.

Coordenação: Susana Fonseca e Ana Delicado
 

Para além da fama: bastidores de novas ‘profissões de sonho’
Novas “profissões de sonho”, como ser modelo, DJ, futebolista ou chefe de cozinha, passaram a integrar as expetativas e escolhas profissionais de muitos jovens. A visibilidade mediática destas atividades alimenta sonhos, criando também ilusões. Com base na apresentação do documentário Para além da fama: bastidores de novas ‘profissões de sonho’, pretende-se estimular o debate com base em investigação sociológica sobre novas expetativas e escolhas profissionais dos jovens de hoje.

Coordenação: Vitor Sérgio Ferreira
 

Práticas de ethnography-based art. Criatividade, etnografia e inovação social
A atividade propõe uma experiência prática de produção artística site-specific baseada em etnografia, segunda a lógica do “learning by doing”, no território no qual irá decorrer o projeto de ethnography-based art Paratissima Lisboa (www.paratissima.pt). O objetivo é desenvolver competências culturais para pensar as intervenções no espaço público, ultrapassando as distinções disciplinares convencionais entre antropologia e arte.

Coordenação: Chiara Pussetti
Colaboração: Francesca de Luca e Maria Concetta Lo Bosco
 

Significados políticos da toponímia portuguesa: qual a importância da ideologia?
Questão: O uso de nomes associados à ditadura e à democratização nas ruas portuguesas pode ser explicado com base na ideologia?
Atividades: Com base numa consulta prévia a especialistas do Salazarismo e da democratização, selecionar 10 nomes. Introduzir os nomes no googlemaps para identificação de ruas. Cartografar os resultados. Comparar com a cor política das divisões administrativas. Analisar e debater os significados políticos da toponímia portuguesa.
Objetivos: O que é a ciência política? Como se faz investigação em ciência política? Como podemos usar as novas tecnologias?

Coordenação: Filipa Raimundo
 

Como (des)fazer a História?  ​

Visita à Biblioteca Nacional e ao Arquivo Nacional Torre do Tombo.
O objetivo é apresentar alguns dos instrumentos essenciais para o exercício do ofício de historiador. Salienta-se a pertinência de cruzar diversas fontes de informação e de recorrer às metodologias mais adequadas para compreender os problemas que se estão a analisar.

Coordenação: Dulce Freire
 

As fraturas socioterritoriais de Lisboa
A atividade visa proporcionar um espaço de “exercício da cidadania” com os potenciais futuros alunos e investigadores da Universidade de Lisboa. Para o efeito, pretende-se focar nas chamadas “fraturas socioterritoriais” que caracterizam o território do município de Lisboa. Tais fraturas são determinadas por um conjunto complexo e multinível de fatores e têm impactes relevantes na vida dos cidadãos.
Olhando mais por perto as dimensões ambientais, socioeconómicas e territoriais, os participantes serão introduzidos a um programa municipal de intervenção prioritária onde foram cartografados os territórios prioritários e através do qual se podem formar parcerias locais para iniciativas comunitárias. Os participantes poderão debater sobre as fracturas a partir da cartografia elaborada e experimentar a formação de parcerias em molde de role-playing.

Coordenação: Roberto Falanga


Mais informações:

Site ULisboa

Facebook

  • Faixa publicitária
  • Faixa publicitária
  • Faixa publicitária

Contacte-nos